Otite média com efusão

Otite média com efusão (OME) é definida pela presença de líquido atrás da membrana do tímpano sem sinais ou sintomas de infecção aguda. O fluido persistente no ouvido médio nos casos de OME leva a diminuição da mobilidade da membrana timpânica e pode levar a diminuição da audição.
Aproximadamente 90% das crianças sofrem um episódio de OME antes da idade escolar, mais freqüentemente entre os 5 meses e 4 anos de vida.
Muitos episódios resolvem-se espontaneamente dentro de 3 meses, mas em torno de 30% a 40% das crianças apresentam recorência do quadro.

 


A otite com efusão pode ocorrer espontaneamente, por disfunção da tuba auditiva ou como uma resposta inflamatória após um episódio de otite média aguda(OMA).
Em quase 50% dos casos de OME, as crianças afetadas e seus pais, não referem queixas significativas.

 

Em muitas crinças o quadro pode passar desapercebido, pois a dor não é tão intensa quanto a da otite média aguda(link para texto OMA) e a perda auditiva não é notada pelos pais.  Os sintomas podem incluir: 

• Dor de ouvido leve e intermitente, plenitude aural, ou sensação de "estalo";
• Manifestações indiretas de  dor de ouvido em bebês, como ato de esfregar ouvido, irritabilidade excessiva, e distúrbios do sono;
• Falha em localizar a fonte sonora ou a necessidade de utilizar o equipamento de áudio ou assistir televisão em níveis excessivos;
• Problemas com o desempenho escolar;
• Problemas de equilíbrio ou atraso no desenvolvimento motor,e;
• Atraso na fala ou desenvolvimento da linguagem.

 

O diagnóstico é feito através dos sintomas relatados pela criança ou pais associada à otoscopia durante avaliação pelo especialista. O medico pode visualizar líquido e bolhas atrás do tímpano, além de erda do brilho normal da membrana(Fig 1.). A audiometria com timpanometria confirma a presença do líquido na orelha média, além de avaliar o impacto na audição.

Fig 1.











 

 

 

 

 

 

 

Aconselha-se o acompanhamento por 3 meses a partir do diagnóstico da efusão,pois a mairia dos casos é auto-limitado. Anti-histamínicos e descongestionantes são ineficazes para o tratamento e não são recomendados ; . O corticóide associado ao antibitiótico não tem eficácia comprovada a longo prazo.
Os candidatos para cirurgia incluem crianças com otite média com efusão, sem resposta ao tratamento clínico por mais de 3 meses quando bilateral ou 6 meses se unilateral. A intervenção pode ser mais precoce se houver algum sinal de risco, como atraso na aquisição de linguagem, síndromes associadas ou perda auditiva permanente. žFinalmente, a recomendação para a cirurgia deve ser individualizada com base no consenso entre o pediatra,o otorrinolaringologista , e os pais ou responsáveis.
A inserção do tubo de ventilação é o procedimento de escolha (Fig 2.). O tubo de ventilação permite a ventilação da orelha média e a drenagem do fluido acumulado na mesma.

Fig 2.

Médico otorrino Dr Bruno Barros otorrinolaringologia São Paulo otorrinolaringologista
Médico otorrino Dr Bruno Barros otorrinolaringologia São Paulo otorrinolaringologista