Alergia alimentar

 

Poeira, ácaros, pêlos de animais, e cigarros não são as únicas ameaças alérgicas a seu filho. Sensibilidades e alergias alimentares podem causar uma grande variedade de reações adversas na pele, sistema respiratório, estômago, e outras funções fisiológicas do corpo.


Determinar quais os alimentos são causa de uma reação alérgica é a chave para o tratamento. Antes de identificar o culpado, você deve considerar qual tipo de alergia alimentar o seu filho tem.

Existem dois tipos, classificados como:



Alergias alimentares imediatas: A alergia alimentar imediata pode ser muito evidente, como a criança cujos lábios incham e garganta coça imediatamente em resposta a comer amendoins. A causa para este tipo de alergia a alimentos é similar à de alergias inalantes, de modo que o diagnóstico é mais facilmente atingido. O teste de sangue (isto é, teste RAST) é tipicamente usado para verificar as alergias alimentares imediatas. Cerca de 5 a 15 por cento das alergias alimentares são da variedade imediata.



Alergias alimentares tardias: Estas alergias são mais comuns, mas menos compreendidas. Sintomas de alergia alimentar tardia podem levar até três dias para aparecer. Este tipo de reação está associada com a imunoglobulina G (IgG) ou anticorpos. Ao contrário das alergias alimentares imediatas, essa resposta alérgica é cíclica, ou seja, podem aparecer somente após exposição prolongada. Como um exemplo, uma criança pode ser sensível ao leite. Consequentemente, os sintomas podem aparecer se a criança aumentar o consumo e / ou a frequência do consumo de leite.

Tanto crianças como adultos são suscetíveis a alergias alimentares. A má notícia para as crianças é que muitas vezes elas têm mais reações de pele aos alimentos, como o eczema, que os adultos. Mas a boa notícia para o jovem paciente é que uma criança muitas vezes supera sensibilidades alimentares ao longo do tempo, mesmo aqueles que são positivos em um teste de RAST. As alergias alimentares podem desaparecer, e ,em seguida podem começar a se manifestar alergias a inalantes (por exemplo, poeira, cigarro, etc).



Diagnóstico e tratamento da alergia alimentar tardia



Se o seu filho está enfrentando reações alérgicas a alimentos de origem desconhecida, você deve perguntar: "Há algum alimento que anseia meu filho ou qualquer alimento que eu evitar oferta?" Esses alimentos podem ser os que estão causando dificuldades para o paciente jovem.



Seu médico também pode sugerir algumas medidas para auxiliar o diagnóstico:



1. Mantenha um diário alimentar detalhado, seguindo o que foi comido (incluindo ingredientes), quando foi comido, medicamentos em uso, e todos os sintomas que desenvolveu. Seja honesto! Alguns pais bem-intencionados muitas vezes criam um diário alimentar que parece mais saudável do que realmente é. Seu filho pode receber melhor o diagnostico, se os registros da dieta forem precisos e verdadeiros. O diário de dieta pode ser avaliada pelo médico para identificar os itens alimentares que podem ser os culpados.



2. Eliminar alguns alimentos com base na avaliação do seu médico e no diário da dieta. Durante esta dieta, a criança deve abster-se de um, e apenas um, dos possíveis alimentos culpados por um período de quatro dias. Isso pode ser difícil, se a comida é muito comum, como ovos ou cereais, por isso é necessário prestar bastante atenção à dieta do seu filho durante a fase de eliminação. Qualquer engano invalida os resultados. No quinto dia, você será solicitado para alimentar o seu filho com o item suspeito. Este é o desafio! Dê ao seu filho uma porção de tamanho médio do alimento em questão para ser comido em cinco minutos. Em uma hora, se não desenvolveu sintomas, a criança deve comer a outra metade. Quaisquer sintomas, que se desenvolverem, são então cronometrados e registrados. Para uma verdadeira alergia alimentar tardia, seria eperado uma piora significativa dos sintomas descritos no diário de dieta original, embora os sintomas podem variar também.

3. Se a técnica acima confirma uma alergia alimentar tardia, então você será solicitado a abster-se de alimentar o seu filho com este alimento por um período de três a seis meses. Após este tempo, pode lentamente reintroduzir o alimento em uma base rotativa, não é para ser comido com mais frequência do que de quatro em quatro dias (uma vez ou duas vezes por semana).




Atenção!!!

Alergias alimentares imediatas nunca devem ser testadas por esta técnica e sem a supervisão de um médico!!!!