Informações sobre a adenóide e as amígdalas

 


• Que condições afetam as amígdalas e adenóides?



• Quando devo procurar um médico?



• Quais são os sintomas comuns da amigdalite e das adenóides aumentadas?



Amígdalas e a adenóide são a primeira linha de defesa do corpo, como parte do sistema imunitário. Elas reconhecem as bactérias e vírus que entram no corpo através da boca ou nariz, mas às vezes se tornam infectadas. Às vezes, tornam-se mais prejudiciais do que uma vantagem, e podem até causar a obstrução das vias aéreas ou repetidas infecções bacterianas. Seu otorrinolaringologista pode sugerir as melhores opções de tratamento.



O que são as amígdalas e a adenóide?



Amígdalas e adenóide são semelhantes aos gânglios linfáticos ou linfonodos encontrados no pescoço, virilha e axilas. Amígdalas são as duas protuberâncias arredondadas no fundo da garganta. Adenóide representa elevados na garganta atrás do nariz e do céu da boca (palato mole) e não são visíveis através da boca ou nariz sem instrumentos especiais.

Quais os principais problemas que ocorrem com as amígdalas e a adenóide?



Os dois problemas mais comuns que afetam as amígdalas e adenóide são infecções recorrentes do nariz e da garganta(sinusites e amigdaites); e o alargamento significativo das amígdalas e adenoide,  que causa a obstrução nasal e / ou  da respiração, dificuldade de deglutição e problemas do sono.

Outros problemas incluem: abscessos periamigdalianos, amigdalite crônica e depósitos mau-cheirosos de massa branca, chamado de caseum e que podem levar a mau hálito. O caseum nada mais representa restos de comida que ficam presos nas criptas(buracos) das amígdalas e sofrem ação da saliva.
Câncer de amígdalas, apesar de incomum, exige diagnóstico precoce e tratamento agressivo.

Quando devo procurar um médico?

Você deve consultar o seu médico quando você ou seu filho sentir os sintomas comuns de amígdalas infectadas ou do aumento excessivo de amígdalas e  adenóide.


Os principais métodos utilizados para avaliar amígdalas e adenoide são:



• História médica

• O exame físico

• Culturas de garganta / testes rápido para Streptococo - úteis em infecções agudas na garganta



• Raios-X / nasofibroscopia - úteis na determinação do tamanho e forma das adenóide



• Exames de sangue – úteis para diagnóstico de infecções como a mononucleose



• Polissonografia -útil para determinar se está ocorrendo  perturbação do sono por causa de amígdalas e adenóide aumentadas.



Amigdalite e seus sintomas



Amigdalite é uma infecção das amígdalas. Um sinal é o inchaço das amígdalas. Outros sintomas são:

Amígdalas mais vermelhas do que o normal


• Um revestimento branco ou amarelo nas amígdalas(placas de pús)

• Ligeira mudança de voz devido ao inchaço

• Dor de garganta, por vezes acompanhada de dor de ouvido.



• Incômodo ou dor ao engolir

• Inchaço dos gânglios linfáticos (linfonodos/inguas) no pescoço

• Febre

• Mau hálito



O aumento das tonsilas e / ou adenóides e seus sintomas

Se a adenóide de sua criança estiver hipertrofiada, pode ser difícil ela respirar pelo nariz. Se as amígdalas e adenóides são hipertrofiadas, a respiração durante o sono pode ser perturbada e levar a apnéia obstrutiva do sono.

Outros sinais de adenóide e amígdalas hipertrofiadas são:

• Respirar através da boca em vez do nariz, a maior parte do tempo

 

  • Sons "bloqueado" quando a pessoa fala, voz “anasalada”

 

• Nariz escorrendo cronicamente

• Respiração ruidosa durante o dia

• Infecções recorrentes de ouvido

• Ronco durante a noite

• Agitação durante o sono, pausas na respiração durante alguns segundos à noite (pode indicar apnéia do sono).



Como são tratadas as doenças das amígdalas e adenóide?



As infecções bacterianas das amígdalas, especialmente aquelas causadas por estreptococos, são tratadas com antibióticos. Remoção das amígdalas (amigdalectomia) e / ou adenóides (adenoidectomia) pode ser recomendada se houver infecções recorrentes, apesar da terapêutica antibiótica, e / ou dificuldade em respirar devido ao aumento das amígdalas e / ou adenóides. Essa obstrução à respiração provoca ronco e sono perturbado, que leva à sonolência diurna, e pode até causar problemas de desempenho ou de comportamento escolar em algumas crianças.

Infecções crónicas dos adenóides podem afetar outras áreas, tais como a tuba auditiva (passagem entre a parte de trás do nariz e o interior do ouvido). Isso pode levar a infecções de ouvido freqüentes e acúmulo de líquido no ouvido médio, que pode causar perda auditiva temporária. Estudos também mostraram que a remoção das adenoides, pode ajudar algumas crianças com dores crônicas de ouvido acompanhadas de líquido no ouvido médio (otite média com efusão).

Em adultos, a possibilidade de câncer ou um tumor pode ser outra razão para a remoção das amígdalas e adenóides. Em alguns pacientes, especialmente aqueles com mononucleose infecciosa, o aumento rápido e importante das amígdlas pode obstruir as vias aéreas. Para esses pacientes, o tratamento com esteróides (por exemplo, prednisona) às vezes é útil.



Como se preparar para a cirurgia



Crianças



• Converse com seu filho sobre seus sentimentos e dar forte apoio

• Incentivar a idéia de que o procedimento fará com que ele / ela fique saudável.

• Esteja com seu filho, tanto quanto possível antes e depois da cirurgia.

• Diga a ele / ela para esperar uma dor de garganta após a cirurgia, e que os medicamentos serão usados para ajudar a dor.

• Tranqüilize seu filho que a operação não remove quaisquer partes importantes do corpo, e que ele / ela não vai parecer diferente depois.

• Pode ser útil falar sobre a cirurgia com um amigo que foi submetido a amigdalectomia ou adenoidectomia.
• O seu otorrinolaringologista pode responder a perguntas sobre o procedimento cirúrgico.

Adultos e crianças



Por pelo menos duas semanas antes de qualquer cirurgia, o paciente deve abster-se de tomar aspirina ou outros medicamentos que contenham aspirina.
(ATENÇÃO: As crianças nunca devem ser administrada aspirina por causa do risco de desenvolvimento de síndrome de Reye). O seu médico pode pedir para você parar de tomar outros medicamentos que possam interferir com a coagulação.

• Informe o seu médico se o paciente ou a família do paciente teve quaisquer problemas com a anestesia ou de coagulação do sangue. Se o paciente está tomando medicamentos, tem anemia falciforme, tem um distúrbio de sangramento, está grávida, ou tem dúvidas sobre a transfusão de sangue, o cirurgião deve ser informado.

• Um exame de sangue pode ser necessário antes da cirurgia.

• Uma visita ao clínico ou pediatra pode ser necessária para garantir que o paciente está bem de saúde para a cirurgia.



• Você receberá instruções específicas sobre quando parar de comer e beber líquidos alimentares antes da cirurgia. Estas instruções são extremamente importantes, já que qualquer coisa no estômago pode ser vomitado quando a anestesia é induzida.

Quando o paciente chega ao hospital ou centro cirúrgico, a equipe de anestesia e enfermagem pode encontrar-se com o paciente e família para rever a história do paciente. O paciente será levado à sala de cirurgia e dado um anestésico. Fluidos intravenosos normalmente são dadas durante e após a cirurgia.

Após a operação, o paciente será levado para a área de recuperação. O pessoal da sala de recuperação vai observar de perto o paciente até a alta. Cada paciente é único, e tempo de recuperação pode variar.

O seu otorrinolaringologista irá fornecer-lhe os detalhes do pré-operatório e pós-operatório e responder suas perguntas.

Após a cirurgia



Há vários problemas que podem surgir no pós-operatório. Estes incluem problemas de deglutição, vômitos, febre, dor de garganta e dor de ouvido. Ocasionalmente, o sangramento da boca ou do nariz pode ocorrer após a cirurgia. Se o paciente tem alguma hemorragia, o cirurgião deve ser notificado imediatamente. Também é importante beber líquidos após a cirurgia, para evitar a desidratação.



Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha devem ser discutidas abertamente com o seu cirurgião.